jusbrasil.com.br
14 de Outubro de 2019

Nikon deixa o Brasil: entenda o que diz a lei sobre assistência ao consumidor

Cliente não pode arcar com custos de envio de produtos para o exterior.

Vitor Guglinski, Advogado
Publicado por Vitor Guglinski
ano passado

Nikon - Pixabay

RIO - A Nikon, fabricante de máquinas fotográficas japonesa, anunciou, nesta segunda-feira, que encerrará suas atividades no país. Em nota, a empresa afirma que os produtos fotográficos com garantias válidas terão seus reparos “honrados pelo Grupo Nikon”. A assistência técnica e as solicitações de reparo destes itens deverão ser feitas pelo site Nikon do Brasil por meio de formulário on-line, explica a empresa. No entanto, quem tem máquinas e lentes, por exemplo, já fora da garantia terá o conserto feito no exterior.

Vitor Guglinski, advogado especialista em Direito do Consumidor e membro do Instituto Brasileiro de Política e Direito do Consumidor (Brasilcon), alerta que o consumidor não deve arcar com qualquer de logística para envio do produto, tais como frete, custo de envio.

— Caso opte por enviar para o exterior o produto para conserto, o consumidor só pode ser cobrado pelo valor das peças — ressalta Guglinski.

O conserto, continua o especialista, deve ser feito em até 30 dias, como estabelece o Código de Defesa do Consumidor (CDC):

— O consumidor não pode arcar com o custo de uma decisão mercadológica da empresa, que optou por não atuar no Brasil. E a empresa já conhece as regras brasileiras e tem que se submeter a elas, cumprindo o prazo de 30 dias para o conserto, independentemente de ter que enviar o produto aos EUA.

Guglinki ressalta que independentemente de ter assistência técnica no país, a empresa deve disponibilizar peças para conserto durante toda a vida útil do produto. E acrescenta:

— Caso o equipamento seja usado para trabalho, o fabricante ou importador deve disponibilizar outro idêntico ao consumidor.

Fonte: O Globo

Leia mais: https://oglobo.globo.com/economia/defesa-do-consumidor/nikon-deixa-brasil-entenda-que-diz-lei-sobre-assistência-ao-consumidor-23076681#ixzz5RPMglZoc

74 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Se eu pudesse também deixaria o Brasil. continuar lendo

Respeito a opinião de cada um, pois cada um sabe onde aperta seu calo. Porém, pessoalmente, prefiro continuar no Brasil persistindo na luta por um país melhor. Não me passa abandonar o barco, para usufruir das conquistas que outros povos conseguiram e só voltar quando puder usufruir dos benefícios que o país puder oferecer, graças a perseverança de "outras pessoas idealistas". Repito, respeito a opinião de quem pensa o contrário, apenas expus o meu ponto de vista. continuar lendo

Esperta foi a Nikon... continuar lendo

Olá Omar. Na verdade foi mais um desabafo que um desejo. Como disse o Mário Sergio Cortella, um cara que muito admiro, podem me tirar tudo menos a esperança de dias melhores. Eu sou assim. Acredito que dias melhores virão.

abraços continuar lendo

O Brasil, com sua ganância insana de arrecadar, aumenta impostos e sufoca as empresas e os trabalhadores. E a tendência é, cada vez mais, empresas sairem do Brasil para escapar dessa forca chamada tributação. Muitas estão indo aqui para o lado, para o Paraguai, que apresenta, desde 2010, um crescimento médio de 5,8%, i quase 5 vezes maior que o vivenciado pelo Brasil, que ficou em 1,2%, considerando, ainda, uma inflação média em quase metade da Brasileira.

No Paraguai, a carga tributária está por volta de 13% do PIB, contra cerca de 33% no Brasil. Além disso, segundo a Heritage Foundation, a alíquota de imposto cobrado sobre empresas é de cerca de 10%, enquanto no Brasil é de 34%. Eis um dos motivos, e talvesz o principal, de muitas empresas estarem se mudando do Brasil. continuar lendo

Aqui no Paraguay se cobra apenas 10% do valor agregado , ou seja , se vc comprou por 10 reais e vendeu por 12 reais vc vai pagar 10% encima dos 2 reais que ganhou , simples assim ... continuar lendo

Srs. Trabalhei no Japão por 12 anos, vi a fábrica onde trabalhava querer vir para o Brasil, não tiveram coragem, pois no Brasil havia muitos sindicatos, greves e uma das maiores taxas de juros e impostos a serem pagos, deixaram de montar a fábrica aqui no Brasil pra montarem no México. Hoje se eu pudesse e tivesse condições já estaria morando em outro país tbém infelizmente nosso querido país está só se decaindo, e que Deus nos abençoe e nos proteja. continuar lendo

o que me chamou a atenção foi a seriedade e o respeito pelo consumidor dos produtos Nikon. Morri de inveja! As empresas brasileiras, em caso de encerramento de atividades, desaparecem do mapa. Não dão satisfação. Sinto muito perdermos uma empresa séria em todos os sentidos. O produto é de excelente qualidade, e, por isso, talvez não tenham problemas em garantir assistência técnica e reposição eventual de peças. Além da questão tributária, perdemos em respeito pelo consumidor! Que lástima! continuar lendo

A Citizen relógios deixou o Brasil a pouco tempo em não deixou sinal onde os consumidores procurariam seus serviços... Eu estou um pagando por isso. continuar lendo

Sr Luis Ramos, o Grupo Magnum é a Assistência Técnica Autorizada "Citizen" no Brasil. O endereço é na Rua 24 de Maio, 250- 9º andar, Metrô República, Capital, SP. Telefone (11) 2348-5858 continuar lendo